segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Pesquisadores acompanham pato por 6 mil Km


Com o objetivo de obter um panorama mais completo sobre as migrações dos pássaros, para fornecer informações precisas na prevenção de doenças e no estudo de mudanças ambientais, um grupo de pesquisadores acompanhou vários patos durante uma viagem de Hong Kong ao Ártico.

O processo, que provavelmente foi realizado com microchips presos aos bichos, contou também com a ajuda do Google Earth no desenho do trajeto e trouxe algumas revelações impressionantes. Um dos animais chegou a alcançar a velocidade de 114 km/h e a "famosa" pata que completou o trecho de 6 mil km viajou com uma velocidade média de 50 km/h. Para se ter ideia, 6 mil km é a distância de São Paulo até a África, na Namíbia, em linha reta. Infelizmente, um dos animais foi abatido enquanto sobrevoava a Rússia. A hipótese mais provável é que tenha sido atingido por um caçador russo (só podia ser!). Agora imagine a decepção do cientista que se dedicou ao acompanhamento deste pássaro.

Quem pagou o pato, quer dizer, financiou o projeto, foi a WWF.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Cientistas disputam para criar novo "quilo"

O quilo é uma das unidades de medidas mais presentes nas nossas vidas. O que muita gente não sabe é que, antes de um número, o Quilo é um cilindro feito de platina e irídio, com 122 anos, que está exposto em Paris. Este objeto é a prova de referência convencional da unidade criada e utilizada por cientistas do mundo inteiro. Outras unidades também têm um objeto oficial, como o Metro.

O problema é que o Quilo original vem sofrendo alterações de massa durante os anos, o que é um empecilho para os cientistas. Assim, surgiu a necessidade de se criar um novo objeto como referência. Dois experimentos ocorrem paralelamente. O primeiro deles, conduzido por uma instituição alemã, almeja a confeccção de uma esfera de silício, com precisão atômica. A ideia dos alemães é aperfeiçoar a constante de Avogrado, preenchendo mais casas numéricas no lugar de zeros, e utilizar este dado para se ter o número exato de átomos da esfera do quilo. Como o silício é composto também por isótopos, os cientistas recorreram à ajuda dos laboratórios nucleares russos, que possibilitaram uma substância 99,9% composta por Silício 28. Os concorrentes dos alemães são um time de cientistas que utiliza correntes elétricas e campos magnéticos para definir a massa exata de um objeto.

Quem vai ganhar esta disputa? Eu também não faço a mínima ideia, mas que os caras realmente estão dispostos a se livrar do velho quilo não há dúvidas!

Referências: Nature e Physorg.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Salmão gigante é criado nos EUA

Aposto que muita gente já imaginou sushis gigantes e suculentos só de olhar para a foto. O fato é que realmente foi criado um salmão "ideal" a partir da manipulação dos gens. Logo, trata-se de um peixe transgênico. Tendo em vista o alto valor de mercado deste peixe e a dificuldade para capturá-lo, isto pode ser uma solução para baixar o preço do salmão. Outras consequências econômicas seriam o empobrecimento dos pescadores e o enriquecimento dos empresários capazes de financiar a continuidade das pesquisas científicas e a criação deste peixe tão singular.

Porém, bem antes do aspecto econômico, paira o temor diante das incertezas do consumo de transgênicos em relação à saúde, além de toda a implicação que tal manipulação pode causar. Daqui a pouco vão criar vacas e porcos gigantes também, capazes de fornecer picanhas e bacons saborosos como nunca se viu.

As possibilidades são animadoras e assustadoras ao mesmo tempo. Não sei se consigo ser totalmente liberal, mas a imagem do salmão gigante é tentadora.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Asteróide pode extinguir a humanidade em 2182

Não é raro ver notícias sobre meteoros que ameaçam a Terra, mas as chances costumam ser desprezíveis. Desta vez parece que a situação a diferente. Segundo a cientista María Eugenia Sansaturio, da Universidad de Valladolid na Espanha, o asteroide "1999 RQ36", de 560 metros de diâmetro pode atingir a Terra em 24 de setembro de 2182 e provocar extinção em massa, inclusive da espécie humana.

As chances de isso acontecer chegam a até 1/500. Logo, é cem mil vezes mais fácil este asteróide acertar a Terra do que você ganhar na Mega Sena! Muitas pessoas podem dizer que isto não importa já que nenhum de nós estará por aqui mesmo. Entretanto, tentativas de mudar artificialmente a trajetória do asteroide devem ser realizadas pelo menos 100 anos antes da data do impacto. Três possibilidades já são consideradas: detonar uma ogiva nuclear, refletir raios solares a partir de uma nave para provocar reações químicas e mudar o curso, ou simplesmente mandar uma espaçonave suicida para colidir com o asteroide e alterar a trajetória. Apesar de parecer mais simples, esta terceira ação deve ocorrer bem antes da data, já que o ângulo de mudança não será grande.

A existência deste corpo celeste foi comprovada por quase 300 observações ao redor do mundo e por mais 13 medições astronômicas. Pode começar a rezar. Ou beber.

Para ver a notícia, vá aqui ou aqui.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Cientistas largam o ócio por alguns dias

Fórum discute patrimônio genético,

patentes e pirataria


No Ano Internacional da Biodiversidade, o Museu Exploratório de Ciências (MC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realiza no dia 12 de agosto, em Campinas, o fórum “Biodiversidade em perspectiva: patrimônio genético, patentes e pirataria”. Afinal, a quem deve pertencer os royalties das descobertas científicas no Brasil e no resto do mundo?

O evento é gratuito e acontece no Auditório do Centro de Convenções da Unicamp (CDC) das 9 às 17 horas. Podem participar pesquisadores, professores, estudantes e demais interessados no assunto. As inscrições devem ser realizadas no site da Coordenadoria Geral da Universidade da Unicamp (CGU) até o dia 10 de agosto.

Pela manhã, às 9h30, haverá a palestra "Problemas e potencialidades da biodiversidade brasileira: patentes e biopirataria", com Gonçalo Guimarães Pereira, professor titular da Unicamp e revisor de diversos periódicos científicos.

Em seguida, às 11h, acontecerá a mesa redonda “Biotecnologia, Patentes e Biopirataria”, com Márcio Schuler, Diretor do Departamento do Patrimônio Genético do Ministério do Meio Ambiente (DPG) e Lara Sette, do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas da Unicamp (CPQBA).

No período da tarde, às 14h, o pesquisador Roberto Berlinck da Universidade Federal de São Carlos apresenta a palestra "Cientistas brasileiros não são biopiratas". Na seqüência, às 15h15, Spartaco Astolfi Filho, professor titular de biotecnologia da Universidade Federal do Amazonas, e Herton Escobar, repórter do Jornal O Estado de São Paulo, participam da mesa redonda "Biodiversidade: quadro atual, potencialidades, perdas, impactos e propostas para o futuro".

Dica:

Camila Delmondes

Assessoria de Imprensa

Museu Exploratório de Ciências - Universidade Estadual de Campinas

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Arrumar a cama faz mal à saúde

Você já ouviu falar de "ácaros"? Não é novidade o fato de que milhões destes seres microscópicos vivem no colchão, no travesseiro e nos cobertores. A novidade é que, como sugere um novo estudo inglês, o ato de deixar a cama desarrumada pode eliminar parte dos ácaros.

A explicação dos cientistas é o fato de que quando a cama está desarrumada há maior ventilação e, assim, cai a temperatura do ambiente para os àcaros, que acabam morrendo. Já em uma cama bem arrumada, com camadas e mais camadas de lençóis, cobertores e mantas, cria-se condições perfeitas para a sobrevivência e reprodução destes seres.

Não costumo deixar os cobertores sobre a cama quando arrumo, será que ela continua quente do mesmo jeito? Se você quiser fazer um teste em casa, deixe tudo dessarumado por alguns dias. Quem não deve gostar muito é a esposa, empregada ou qualquer outra pessoa que tenha o mínimo de senso de organização. Mas aí é só responder que é tudo em nome da ciência.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Quem bebe tem saúde melhor, mas não por beber

Uma grande pesquisa foi realizada com 150 mil pessoas na França para determinar a relação entre o consumo de álcool e a saúde. O resultado é que quem consome álcool moderadamente, em geral, tem saúde melhor do que aqueles que recusam álcool e os que exageram nas bebidas.

A explicação lógica para isso é mais social e psicológica do que médica, já que a saúde melhor, neste caso, está ligado ao status e ao humor. Quem bebe moderadamente normalmente tem mais amigos e mais horas de lazer. Além disso, relaxa mais, tem menos estresse e muitas vezes tem uma vida mais ativa fisicamente. O consumo moderado do álcool está relacionado a uma menor frequência cardíaca e maior índices de "colesterol benéfico" no sangue.

O estudo revelou ainda que estas pessoas costumam ser mais magras. Dá para acreditar? Esta é uma boa notícia para quem gosta de chopp aos fins de semana, mas não pode ser encarada como um motivo para começar a beber. Afinal, está mais que comprovado que o álcool pode fazer muito mal à saúde.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Cientistas dizem que mulher bonita faz mal à saúde dos homens

Um estudo recente realizado pela Universidade de Valência, na Espanha, sugere que ficar ao lado de uma mulher bonita por pelo menos 5 minutos acelera a produção do hormônio cortisol, o qual eleva a pressão sanguínea e o nível de açúcar no sangue.

Um experimento simples consistia de uma situação em que os rapazes ficaram alguns momentos sozinhos em uma sala na presença de uma mulher bonita e depois sozinhos com outros rapazes. As análises mostram uma alteração significativa nos níveis de cortisol na hora em que eles ficavam próximos à mulher, enquanto nada mudava na outra situação. Os cientistas afirmam, ainda, que se o homem considerar a mulher muito mais bonita que ele, (o efeito "muita areia pro meu caminhãozinho") a elevação do hormônio é bem maior. Em pequenas quantidades o cortisol é benéfico para o organismo. Entretanto, em níveis elevados pode provocar diabetes, hipertensão, impotência sexual (ironia do destino) e até ataque cardíaco!

Costumo dar ouvidos aos cientistas em relação a hábitos saudáveis. Mas nem o melhor professor de biologia do mundo consegue me convencer de que mulher bonita faz mal! Se não, já era para eu ter sofrido um ataque cardíaco há muito tempo.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Um pouco de loucura ajuda a criatividade

É de conhecimento comum o fato de que muitos dos gênios da história da humanidade tinham algum tipo de transtorno psíquico. Einstein e Newton, por exemplo, eram esquizofrênicos. Podemos citar ainda outros gênios de várias áreas da ciência e da arte, como Van Gogh, que era bipolar. Ao que parece, a genialidade e a real criatividade são privilégios dos que moram no limbo da racionalidade: nem completamente loucos, nem totalmente lúcidos. Os criativos utilizam mais o lado direito do cérebro, responsável por conexões e análises aleatórias, enquanto os racionais usam mais o lado esquerdo, incubido do pensamento lógico e fundamentado.

Alguns estudos científicos apontaram a presença de duas cópias de uma mutação do gene da esquizofrenia como contribuinte para a criatividade. Pessoas com tal característica apresentararam melhores resultados em alguns testes. Apesar disso, ainda não há provas suficientes para estabelecer esta conexão.

O que importa é que agora você tem mais um argumento na hora de chamar seus amigos de loucos. Ah, e esta teoria é um reforço ao estereótipo de malucos aos que trabalham com criatividade em geral, como músicos, escritores e, por que não, publicitários.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

A mudança climática vai deixar o mundo mais perfumado

O aquecimento global é um tema complexo, que vem sendo discutido por governos, empresas, ONGs e pessoas em geral, ao redor do mundo inteiro. Muito se fala sobre o derretimento das calotas polares, o consequente aumento dos níveis dos oceanos e, principalmente, a mudanças ligadas a fenômenos meteorológicos, como chuvas, furacões e o próprio aumento da temperatura. Entretanto, pouca atenção é dada às plantas e as mudanças que podem ocorrer nos vegetais.

De acordo com a Unidade de Ecologia Global, da Universidade Autônoma da Espanha, o aumento da temperatura vai mudar de forma bastante significativa a maneira com que as plantas se relacionam entre si e com o ambiente. Entre as mudanças, se destaca a maior liberação de fragrâncias relacionadas à auto-defesa e à comunicação. Isso significa que já é possível sentir mais "perfumes" das plantas. Mas o que parece algo inofensivo, esconde o que pode ser drástico: um total desequilíbrio de sistemas ecológicos inteiros, na medida em que mudanças nas plantas prejudicarão, por exemplo, a polinização realizada pelas abelhas.

O aumento da temperatura do planeta pode ser mais catastrófico do que se imagina. Agora é torcer para as previsões mais pessimistas, as quais estão em xeque, realmente estarem exageradas.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Árbitro e torcidas tendem a culpar jogadores mais altos por faltas

Uma ampla observação científica, realizada durante 7 anos em 3 grandes campeonatos de futebol revelou que o árbitro e o público culpam mais os jogadores mais altos por faltas em lances que não são claros. A pesquisa, feita por alunos da Escola de Administração de Rotterdam da Erasmus University, na Holanda, levou teorias do mundo dos negócios para o futebol. A explicação científica para tais conclusões reside em observações sociais e bases evolutivas. A sociedade tende a associar pessoas mais altas a agressividade.

Um exemplo disso é o jogador Kléber, do Cruzeiro. Ele já conseguiu "cavar" muitas e muitas faltas. Mas depois de levar vantagem de sua estatura (já pensando de acordo com o estudo acima), começou a colecionar vários cartões vermelhos.

Ainda bem que o Fred, meu amigo que mede 2m, não é jogador profissional.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Neurociência tenta explicar por que os mocinhos sempre ganham no faroeste

O cientista Niels Bohr, tão famoso em nossas aulas de química, uma vez escreveu a teoria de que a lógica para o mocinho sempre vencer os duelos de faroeste era o fato de que tinha que atirar sem pensar, reagir, já que o vilão tentava atirar primeiro. A explicação para isso é quando nós somos obrigados a executar uma ação sem pensar somos mais rápidos. Este raciocínio foi comprovado recentemente pela University of Birmingham, no Reino Unido, com voluntários em um teste de apertar uma sequência de botões. A conclusão é que quando você tem que reagir é até 21 milésimos de segundo mais rápido que quando pensa raciocinar.

Entretanto, um movimento sem pensar costuma ser menos preciso. Isso sem contar que o "tempo de reação" é até 200 milésimos de segundos. Conclusão: se fosse pra valer mesmo, o mocinho ia morrer, sendo mais rápido no gatinho ou não, afinal teria que levar o susto primeiro para depois reagir efetivamente. A teoria de Bohr estava errada e a neurociência não explicou porque os mocinhos são mais rápidos no cinema. Minha teoria? Porque o roteirista quis, oras!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Abelhas reconhecem nossos rostos, dizem cientistas

Não é fácil achar uma razão para as abelhas terem o poder de distinguir nossos rostos, como bem como coloca o artigo da Scientific American. Entretanto, um estudo publicado no "Jornal da Biologia Experimental" mostra que as abelhas podem sim diferenciar uma pessoa e outra apenas vendo o rosto.

Basicamente, elas não veem nossas faces só como flores mais feias, mas fazem uma associação que acaba terminando nisso. Como sugere os estudo, as abelhas associam as características sociais a fontes de açúcar e doces. O experimento realizado pelos pesquisadores se constituiu em desenhar com traços simples rostos humanos de características bem diferentes. Então, quando as abelhas iam para o mesmo rosto, recebiam uma recompensa doce dos cientistas. Mesmo quando os tais desenhos eram embaralhados, os insetos conseguiam reconhecer qual deles dava direito ao "lanchinho".

Não é à toa que sempre tem um mini-enxame de abelhas sobrevoando todo sorveteiro ou vendedor de algodão-doce no parque. Até na hora que sai de perto do carrinho.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Alunos aprendem melhor quando andam pela sala

Um estudo americano, realizado pela Universidade de Virgínia, procurava estabelecer as diferenças entre meninos e meninas no que diz respeito ao aprendizado na escola. Entre as inúmeras conclusões, perceberam que os homens aprendem melhor quando estão se movimentando e têm contato com algo relacionado à lição. O estudo identificou, ainda, que os homens têm mais habilidade espacial, são mais impulsivos e fisicamente ativos, enquanto as meninas são mais verbais, escutam melhor e controlam mais seus impulsos.

Por agora, acho difícil que o resultado deste estudo traga alguma mudança de fato no tradicional modelo da escola. A ciência tem caminhado rapidamente com suas descobertas e lentamente no sentido de mudar a sociedade com seu conhecimento, mas um dia as coisas mudam.

Será que esta descoberta vale para o trabalho também? Aposto que sim.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Bons jogadores de games têm partes do cérebro maiores

Esta descoberta é para quem tinha alguma desconfiança em relação àquelas pessoas que simplesmente pegam um jogo de videogame, PC, etc e rapidamente aprendem as manhas, fazendo frente e, às vezes, até ganhando do dono do console.

Um experimento foi realizado por pesquisadores das universidades de Pittsburgh e Illinois, por meio da observação por ressonância magnética no cérebro de 39 adultos. Os cientistas conseguiram prever o desempenho dos jogadores ao mapear certas áreas cerebrais que eram maiores que o normal. Um exemplo é a área ligada ao prazer que, quando grande, representa mais habilidades com os jogos. Há ainda diferentes sub-regiões correspondentes ao número de pontos e à facilidade de aprender um novo jogo.

Deve ser muito legal participar de um experimento destes. Jogar video-game e ainda ajudar a ciência mundial! Os games têm ganhado uma importância mundial cada vez maior, não só no aspecto econômico, mas também social. O Nintendo Wii, por exemplo, fez com que o videogame chegasse na mão de quem nem ligava para jogos eletrônicos.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

1 ano de ociosidades

Hoje, 26 de janeiro de 2010, o blog completa 1 ano! Tudo começou com uma ideia simples, a de comentar as descobertas científicas engraçadas e/ou inúteis que pipocam todos os dias na rede. Não sei se posso dizer que é um sucesso, mas pelo menos muita coisa engraçada já saiu, nem que seja para comentar na mesa do bar com os amigos bêbados.

E aqui estamos, completando 49 posts, aproximadamente 1 por semana. Pretendo escrever com uma frequência maior e talvez mudar um pouco a forma dos posts, acrescentar coisas novas. Então, ao invés de comentar uma notícia, como "Divórcio de cisnes intriga veterinários britânicos", hoje resolvi compartilhar com vocês um site, o Learn Something New Every Day. Trata-se de uma proposta bem simples: todo dia, em poucas palavras, uma curiosidade e uma ilustração ao estilo pincel atômico. Se você gostar, pode até pedir uma camiseta com aquela curiosidade para você.

Bom, agradeço a todos que já prestigiaram de uma forma ou de outra o Ócio Científico e digo para me enviarem sugestões de posts sempre que quiserem, por aqui, por e-mail, pelo Twitter ou por sinal de fumaça.

Vida longa ao Ócio!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A vantagem neurológica de ser bilíngue

Um estudo recente realizado pela Univer­sity of Ghent, na Bélgica, sugere que as diferenças entre as pessoas que falam duas línguas e as que falam apenas a língua nativa, vão além do fato da familiaridade com um idioma estrangeiro.

Obviamente, quem fala outras línguas, como inglês, francês ou alemão, tem acesso a uma base de conhecimento muito maior. Fora o conhecimento, o fato de ser bilíngue mexe diretamente com nossas capacidades cognitivas mais básicas, fazendo com que, por exemplo, a pessoa seja mais "esperta" na hora de resolver algo que contenha pistas enganosas. Um experimento realizado nesta pesquisa, com 45 voluntários que têm o holandês como língua mátria, e que aprenderam o inglês por volta dos 14-15 anos de idade, provou que eles chegam ao significado de palavras que estão presentes em ambos os idiomas mais rápido do que as que existem apenas em sua língua nativa.

Ao que parece, estas vantagens neurológicas ocorrem quando a pessoa aprende a nova língua na infância ou na adolescência. O que não é o meu caso, acredito.

Muito ainda deve ser descoberto a partir de experimentos desta natureza, o que só corrobora o pensamento de que todos deveriam aprender uma língua, seja ela qual for. Ainda mais em um mundo globalizado.

Realmente este é um estudo nada ocioso, mas mereceu destaque aqui. =]

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Cientistas conseguem dar nó na luz

Esta notícia repercutiu em muitos portais e provavelmente na televisão. Dar nó em um feixe de luz é simplesmente algo muito inusitado e difícil de imaginar racionalmente. Mas foi o que fizeram os cientistas que publicaram o artigo na revista Nature Physis.

Eles conseguiram a façanha com instrumentos e métodos extremamente avançados, com o auxílio de vórtices ópticos e hologramas. Este estudo prova mais uma vez que a luz nem sempre viaja em linha reta, o que nos mostra que é difícil para a humanidade, com os recursos que dispõe hoje, conseguir uma noção certeira da amplitude do Universo. Conforme o cientista Mark Dennis disse: "Em um raio de luz, o fluxo de luz que viajar através do espaço é semelhante ao fluxo de água que flui em um rio".

Os pesquisadores afirmam que, apesar de sua complexidade, o processo poderá ser utilizado futuramente em aparelhos eletrônicos que trabalham com laser.

Vai ficar cada vez mais difícil responder à infame pergunta: "Papai, como isso funciona?".

Moscas realmente ficam bravas quando são espantadas, provam cientistas

É esse tipo de pesquisa que dá sentido ao "Ócio Científico". Pesquisadores do Howard Hughes Medical Institute realizaram um experimento que recriava o ambiente de um piquenique, no qual as pessoas espantam as moscas que insistem em sobrevoar as quitutes. Os cientistas conseguiram provar que estes insetos, assim como as abelhas, voltam com ainda mais raiva para a comida depois que sofrem o vento de um sopro ou de um golpe errante. Para detalhar as descobertas, explicitou-se que as moscas não fogem por causa da comida, mas sim por causa de um mecanismo evolutivo comportamental.

Como todo estudo científico bizarro, este tem uma justificativa plausível (menos o dos "Patos gostam de água"), a destes experimentos está no paralelo entre comportamentos de moscas e humanos (!), já que grande parte dos genes destes insetos chatos estão presentes no nosso DNA. Este paralelo é possível principalmente em função de várias substâncias químicas semelhantes entre pessoas/moscas, responsáveis por transtornos psíquicos.

A conclusão de tudo isso? Melhor matar as moscas de primeira para evitar dor de cabeça ou simplesmente deixá-las voando sobre sua cabeça, como faz o Louco da Turma da Mônica.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Somos menos que poeira no Universo



Existe aquela ideia de que, comparada ao Universo, a Terra é do tamanho de um grão de areia. Esta afirmação assusta um pouco, mas não chega a ser tão impactante como "ver" o quão nano nós somos. O Museu de História Natural dos Estados Unidos produziu um vídeo que tem como objetivo mostrar os corpos celestes em suas proporções reais, tanto em tamanho quanto em distância e posicionamento entre si.

A primeira cena é a cadeia de montanhas do Himalaia. Então, a imagem começa a se afastar rapidamente, mostrando a Terra, a órbita dos nossos satélites artificiais e, em seguida, a órbita da Lua. Admito que fiquei impressionado com a real distância que a Lua está da Terra, é muito longe! Nós estamos habituados a ver seu movimento de translação em livros didáticos sem perceber que a distância ali apresentada é apenas ilustrativa. Depois, o vídeo começa a mostrar a órbitas dos outros planetas do Sistema Solar e o próprio Sol. À medida em que a imagem se afasta, legendas contam a distância da Terra em anos-luz, chegando a um ponto da narrativa que passa a ser bilhões de anos-luz! O Sol se torna apenas mais um pontinho brilhante que se perde em meio a tantos corpos celestes. Ainda mais longe, a Via-Láctea se mistura a outras galáxias como se não fosse nada.

O vídeo continua a levar-nos em uma viagem impressionante, até o momento em que chegamos a "imagem" do que é conhecido e desconhecido, em meio a Quasares e à luz do passado do cosmo. Enfim, uma esfera ilustra a posição do nosso Universo no espaço e no tempo.

Gostaria de entender mais de astronomia e física para falar neste tópico. Mas isso não nos afasta do deslumbre e do sentimento inexplicável diante do quão grande é o universo e da certeza de que sabemos muito pouco de tudo isso. Este vídeo é o resultado de observações e fatos lógicos para a ciência, mas também de teorias ainda não comprovadas, deduções e, principalmente, imagens do passado. Se fosse possível ver uma imagem do universo de verdade, e fosse a luz tal qual a conhecemos o que possibilitasse tal visão, estaríamos diante de uma linha do tempo, sendo possível olhar para diferentes partes da história e impossível enxergar o real presente (se é que isso existe).

Prometo que o próximo tópico vai ser mais light e vou falar menos!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Mulheres comprometidas engordam mais, comprova estudo


Esta história de que as mulheres ganham mais peso quando estão namorando ou são casadas não é nova. Afinal, por simples observação é fácil achar vários exemplos disso nos círculos sociais de cada um de nós. Mas agora um grande estudo científico realizado pela universidade australiana de Queensland comprova este fato.

Segundo o estudo, mulheres casadas e com filho tendem a ganhar, em 10 anos, até o dobro de "quilos" do que ganham as solteiras sem filhos. A única explicação biológica para isso acontecer é a mudança de metabolismo que ocorre nas mulheres grávidas, que é dificíl de ser revertida. Mas o maior responsável pelo aumento de peso é o próprio comportamento das mulheres comprometidas, que acabam comendo mais e se exercitando menos.

Parece que o jantar romântico, regado a vinho com direito à melhor e mais pesada massa italiana, é inimigo da forma física. Entretanto, continua sendo o objetivo de muitas mulheres que vão a bares e boates todo fim de semana. Sem contar a caixa de chocolates e a pipoca a dois no cinema que, apesar de todo o potencial calórico, fazem as mulheres sorrirem, invariavelmente.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...