domingo, 30 de dezembro de 2012

Primeira "Terra alienígena" será descoberta em 2013, afirmam experts



A busca incessante por um planeta que tenha as características-chave da Terra, no sentindo de ser um lugar perfeito para o desenvolvimento de vida, deve alcançar seu grande trunfo em 2013. Astrônomos de vários lugares do mundo concordam que estamos cada vez mais perto da descoberta de planetas que orbitem suas estrelas a uma distância similar à Terra e o Sol, possuam constituição física e tamanho parecidos com o nosso mundo.

A descoberta de um planeta gêmeo da Terra - ou muitos deles - poderá abalar a maneira com que vemos o Universo e a nossa própria existência. Olhar para o céu será como encarar um oceano, a exemplo dos primeiros colonos na expansão marítima, e pensar que há vida em algum lugar do outro lado. Pode haver formas primitivas de vida ou civilizações inteiras em diferentes estágios de desenvolvimento social e tecnológico, inferiores e superiores aos terráqueos.

O telescópio Kepler, da NASA, tem grande potencial de ser o primeiro a realizar uma descoberta assim, pois está programado para localizar este tipo de planeta e já tem vários exoplanetas em seu histórico de achados.

O astrônomo Mikko Tuomi, da Universidade inglesa de Hertfordshire, revela alguns números convincentes: uma estimativa cuidadosa aponta cerca de 200 bilhões de estrelas no nosso universo, as quais hospedam juntas aproximadamente 50 bilhões de planetas. Segundo as estatísticas astronômicas, cerca de 1 em cada 10 mil destes planetas devem possuir características semelhantes à da Terra, o que totaliza 5 milhões de lugares que potencialmente abrigam vida no Universo tal como quantificamos.

Não vem ao caso se a maioria das pessoas acredita ou não em extra-terrestres. O fato é que a ciência progride por meio de hipóteses e testes, e este pode ser um grande passo neste sentido. Se você quer continuar se sentindo confortavelmente isolado, lembre-se de que estes planetas estão a centenas ou até milhões de anos-luz da Terra.

Referência: Fox News

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

As 12 descobertas científicas mais óbvias de 2012



Para a ciência, algo só é verdade depois que é provado por meio de experimentos. Mesmo que seja de amplo conhecimento para os meros mortais, como o fato de que fazer exercícios físicos é bom para a saúde ou que chamar rápido uma ambulância pode salvar vidas. Conheça agora as 12 descobertas científicas mais óbvias de 2012:

1 - Bons parceiros são bons pais e mães

Se uma pessoa é boa como cônjuge ou parceiro, as chances de ser também boa com os filhos é grande. E agora isso é provado cientificamente em um artigo publicado no Personality and Social Psychology Bulletin.

2 - Todos queremos namorar as gostosas(os)

Quando este assunto é tratado abertamente, as pessoas tendem a assumir uma postura polida, dizendo que não é a forma física que atrai primeiro, mas a personalidade e etc. Mas no fundo, ou em uma conversa mais franca com amigos íntimos, homens e mulheres admitem que a aparência é super importante e desperta atração, considerando a beleza do rosto e do corpo. E, mesmo quando não admitem, é isso que está presente no subconsciente. E uma pesquisa comprova isso.

3 - Quem faz esquenta antes da balada bebe mais

Esta realmente é muito óbvia. Se você se preocupa em beber alguma coisa antes de sair para a noite, seja por causa do preço elevado das casas noturnas ou por outras razões, é porque racionalmente e deliberadamente quer elevar o nível de álcool no organismo.


4 - Pessoas experientes tomam decisões melhores

"Gato escaldado tem medo de água fria." O ditado é verdadeiro e também o é o fato de que se você tem experiências anteriores com algo, conhece bem as variáveis e tem mais chances de escolher o que é melhor. Veja a pesquisa


5 - Manter armas fora do alcance de pessoas problemáticas pode salvar vidas

Esta é muito óbvia, mas também muito triste. Os acontecimentos com as crianças de Newtown e a emboscada armada para bombeiros em um incêndio ilustram isso. Não cabe nenhum comentário engraçado aqui.

6 - Fazer exercícios é bom para você

Se você quer emagrecer ou simplesmente ter uma vida mais saudável mas tudo que faz é ficar sentado na frente do computador, inclusive neste blog, está redondamente(sim, com trocadilho) enganado. Os exercícios físicos regulares fazem bem para o corpo e a mente, com o poder de prevenir e tratar uma série de doenças, inclusive a depressão.

7 - Chamar uma ambulância aumenta a chance de sobreviver a um ataque cardíaco

Se alguém tiver um ataque cardíaco perto de você, pense primeiro em chamar uma ambulância. Estudos comprovam que as chances de sobrevivência são bem maiores para os pacientes que vão de ambulância do que de carro ou taxi para o hospital. Claro que tudo isso depende do bom senso e das condições do momento. Mas, em geral, os paramédicos e a aparelhagem salvam vidas a caminho do hospital.

8 - Os homens tendem mais a querer algo com suas amigas do que vice-versa

A amizade entre homens e mulheres é frequentemente alvo de discussões. Mas o que não é segredo é que os homens têm mais dificuldade de manter uma amizade com as mulheres sem pensar (ou tentar) algo mais. Segundo os estudos conduzidos neste ano, as mulheres normalmente apresentam menos este comportamento. Apesar disso tudo, a amizade verdadeira entre homens e mulheres é possível, segundo os cientistas.

9 - Maconha pode bagunçar o seu cérebro

A ligação entre o hábito de fumar maconha e a diminuição das capacidades cognitivas está provada, de acordo com um estudo feito com jovens na Nova Zelândia. Quem fuma tende a ficar mais "lesado" mesmo, ainda mais se você é um adolescente e seu corpo ainda está em desenvolvimento.

10 - Beber e dirigir é perigoso

Isto é um fato e ninguém pode negar. Beber e dirigir é uma das principais causas das mortes nas estradas brasileiras e no mundo inteiro. As experiências lembram, as estatísticas comprovam e o bom senso manda lembranças: não beba e dirija.


11 - Salto-alto é ruim para os pés

Além das dores e dos severos machucados que vemos nossas namoradas aquirirem por causa dos saltos-altos, uma outra grave consequência são as unhas encravadas, cujos desdobramentos vão de simples retiradas com um alicate a cirurgias arriscadas. Os cientistas recomendam maneiras na utilização destes calçados, pelo menos quando você vai andar bastante ou ficar de pé por muito tempo.

12 - Gritar com os filhos é muito prejudicial

Uma criança pode ficar aterrorizada com os gritos de xingamentos e repreensão dos pais. Os efeitos negativos são diversos e podem até fazer mal para a saúde. Não é preciso deixar as crianças fazerem tudo que querem, mas não vá transformar um simples pedido de "vá tomar banho" em um trauma para o resto da vida.

Bem, os 12 fatos foram estes. Espero que em 2013 hajam muitos cientistas ociosos para trazer notícias divertidas. Obrigado a todos que acompanham o blog!

Referência: Scientific American

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Falar ao celular pode ser contagioso

Esta notícia provavelmente não vai espantar os donos de smartphones e afins. Um estudo conduzido nos Estados Unidos, na Universidade de Michigan, mostrou que estudantes universitários apresentaram 39% mais chances de checar o celular por e-mails ou mensagens no intervalo de 10 segundos logo após um amigo ou colega próximo ter feito o mesmo.

O fato poderia ser explicado simplesmente pelo impulso humano de imitar, mas os cientistas foram além. No ponto de vista deles, se você está conversando com alguém e esta pessoa mexe no celular, ela está realizando uma interação social da qual você está excluído. Assim, há uma boa chance de você verificar seu próprio aparelho para se sentir melhor.

A questão toca outro ponto: não seria pouco polido ficar checando o celular enquanto conversa com alguém? Pode ser até sinal de falta de interesse na conversa.

Um aspecto interessante sobre este estudo é que foi feito por meio de observação, ou seja, sem simular nada em laboratório. Assim, qualquer um pode testar. Experimente checar seu Facebook no celular enquanto estiver em uma roda de amigos, provavelmente todos farão a mesma coisa.

Referência: NBC News


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Músicos entram em sintonia cerebral, revela estudo

Um estudo feito pelo Instituto Max Planck de Desenvolvimento Humano, em Berlim, mostrou que quando duas pessoas executam uma música juntas, seus cérebros entram em sintonia.

A experiência foi feita com 32 violinistas experientes e com a ajuda do mapeamento do cérebro por meio de eletrodos. Os gráficos que ilustram este post ajudam a entender melhor como funciona esta sintonia. As partes em tom avermelheado mostram onde há atividade cerebral mais intensa, e são justamente as áreas responsáveis pela habilidade musical e pela interação social. Desta forma, os pesquisadores inferem que este mesmo tipo de sintonia possa acontecer no esporte, no dia-a-dia durante uma conversa ou em outro tipo de atividade que exija entrosamento e cooperação.

Será que o mesmo ocorre durante uma reunião para negociação ou uma partida de truco, por exemplo, onde as pessoas devem seguir a mesma linha de raciocínio para vencerem?

Referência: G1

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Engenheiros britânicos produzem petróleo a partir do ar

Uma empresa britânica de pequeno porte balançou o mundo ao divulgar, em uma conferência de engenharia, o procedimento capaz de produzir petróleo apenas com substâncias retiradas do ar. Seria, enfim, uma alternativa realmente limpa e eficaz para a matriz energética mundial? A primeira reação da comunidade científica e tecnológica foi ceticismo, afinal, seria "bom demais para ser verdade". Mas o processo despertou grande interesse e não foi posto em xeque.

Resumidamente, a transformação funciona da seguinte forma: o dióxido de carbono (ou gás carbônico) é retirado do ar por meio de um filtro de hidróxido de sódio; em seguida, obtém-se hidrogênio do vapor d´água capturado do ar; então, o dióxido de carbono e o hidrogênio dão origem ao metanol, o qual finalmente passa por um reator; o resultado é petróleo.

Air Fuel Synthesis construiu um protótipo e já foi capaz de obter 5 litros de petróleo. A estimativa é de que poderá produzir uma tonelada por dia em 2 anos, e se tornará uma refinaria completa no prazo de 15 anos.

Uma pergunta bastante pertinente surge junto com este tipo de invenção: será que o saldo energético valerá? A energia obtida com o petróleo e os impactos ambientais compensarão a energia elétrica gasta com o processo? Ainda é cedo para tirar estas conclusões, mas pode-se inferir que este é um novo tipo de energia limpa. Afinal, o petróleo continuará contribuindo para o lançamento de CO2 na atmosfera, mas o próprio gás carbônico terá sido capturado no início do processo, zerando o saldo. Sobre a questão da energia elétrica envolvida, pode-se combinar outros tipo de fontes limpas e renováveis, o que torna tudo isso bastante promissor.

Seria ingenuidade dizer que esta é a solução de tudo, mas estupidez negar, tão cedo, o potencial envolvido.

Referência: The Telegraph

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Veja a luz se propagar: câmera grava a 1 trilhão de quadros por segundo

Há alguns meses, postei aqui no Ócio Científico sobre um equipamento que consegue "enxergar além de cantos e esquinas". Agora, compartilho com os leitores a versão completa da palestra promovida pelo TED, a qual possui um trecho ainda mais impressionante.

Com esta super câmera, que faz uma captura a cada trilionésima parte do segundo, é possível ver a própria propagação da luz! No vídeo, um feixe luminoso atravessa uma garrafa plástica cheia de água, assim, vemos as ondas se propagando e os fenômenos de difração, reflexão e interferência. O detalhe é que na velocidade da luz nota-se os efeitos relativísticos de distorção do tempo.

Veja o vídeo abaixo para entender melhor. Se você estiver impaciente, assista até 4:00 e depois a partir de 9:00, mas vale a pena ver tudo, é 'fantástico'.

domingo, 16 de setembro de 2012

Ratos sedentários colocam em dúvida pesquisas científicas

Uma estimativa aponta que 90 milhões de ratos e camundongos sejam utilizados em experimentos de laboratório todos os anos. Estas cobaias sempre foram consideradas como a melhor forma de testar medicamentos e estudar doenças, dentre centenas de outras linhas de pesquisa. Isso ocorre por causa da semelhança entre as funções biológicas dos corpo e o códigos genéticos de ratos e do homem.

Entretanto, tal prática foi posta em cheque pelo cientista americano Mark Mattson, do Laboratório de Neurociências do Instituto do Envelhecimento. E o motivo de tal oposição é bem simples de entender: as cobaias são sedentárias e, na grande maioria, estão muito acima do peso normal. Tudo isso faz com que a taxa de metabolismo esteja sempre em um nível diferente do que realmente ocorre, acarretando uma situação que não corresponde à maioria da população de ratos. A consequência é que estudos sobre câncer, tuberculose e envelhecimento, por exemplo, podem levar a conclusões equivocadas por não se aplicarem à realidade humana. Experimentos sobre doenças neurológicas, como Parkinson e Alzheimer, também são afetados, pois ingerir menos comida pode diminuir os sintomas. Um outro ponto grave é a baixa variabilidade genética entre as cobaias.

Agora que estão com esta "bomba" nas mãos, os cientistas buscam outras espécies para executar os testes. Entre os candidatos, estão outras espécies de roedores, além da mosca, peixe-zebra, lebre-do-mar, verme e o porco. Todos eles têm algo em comum com o homem, o que os torna interessante para as pesquisas.

Referência: Revista Super nº 307

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Segunda-feira não é pior dia da semana, dizem cientistas

Muita gente compartilha a opinião de que domingo à noite é uma hora especialmente deprimente. Mas isso ocorre justamente porque o dia seguinte é a segunda-feira, o reinício da rotina e das obrigações. Se até a expectativa da segunda é capaz de ser ruim, imagine o dia.

Após uma enquete com nada menos que 340 mil pessoas, cientistas americanos da Stony Brook University, NY - EUA, descobriram que terça, quarta e quinta-feira são tão ruins quanto a segunda-feira, o que tira o título deste como o pior dia da semana. Sexta, sábado e domingo foram apontados pela maioria como dias em que o humor está melhor, o que não é surpresa para ninguém.

Vejo uma verdade por trás deste resultado, bom mesmo só fim de semana! E você, o que acha? Não vale dizer que a pesquisa é inútil, afinal este é um blog para cientistas ociosos.

Referência: G1

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Cientistas torcem a luz e transmitem dados a 2,5 terabits/s

Há algum tempo postei aqui no Ócio Científico que alguns cientistas conseguiram dar "Nó na Luz". Esta foi mais uma prova que a luz nem sempre viaja em linha reta. Desta vez, uma equipe internacional de pesquisadores, trabalhando na Califórina - EUA, torceram e retorceram feixes de luz para transmitir dados em código binário.

Para explicar de forma suscinta, eles foram capazes de juntas vários canais de luz em um só feixe torcido, o qual era retorcido ao chegar ao seu destino. Com isso, alcançou-se a incrível velocidade de 2,5 terabits por segundo, aproximadamente 66 DVD's inteiros ou 1 HD de 250gb por segundo!

É conhecido o fato de que a velocidade de transmissão de dados, a capacidade de armazenamento e o tamanho dos arquivos crescem rápido e paralelamente. Mas isso pode mudar se este experimento trouxer para o cotidiano tais transmissões. Será que estamos ainda mais próximos do mundo das "nuvens"? Há afirmações no meio tecnológico que os computadores e video-games passarão a ser meras interfaces, enquanto todo o poder de processamento e armazenamento ficará por conta dos potentes e gigantescos servidores.

É melhor pensar duas vezes antes de se gabar por sua internet de 10mb.

Referência: Inovação Tecnológica

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Computador do Google pensa como humanos

Não bastasse o fato de possuir o buscador mais importante do mundo e aparecer cada dia com um produto inovador, o Google rompe a barreira da web e avança sobre o mercado tecnológico. Mas como é óbvio o fato de esse ser um dos maiores "players" da internet e da tecnologia, vamos ao que interessa: agora a empresa resolveu investir em um supercomputador, ou melhor, 16 mil computadores juntos.

Pesquisadores do Google X, o laboratório secreto, criaram um supercomputador que é capaz de vasculhar a internet sozinho e fazer conexões de significados para o conteúdo, promovendo hierarquia e tecendo conceitos. Por exemplo: a máquina foi capaz de aprender, por si, o que é um gato. Pode parecer pouco, mas a elaboração disso ocorreu de forma análoga ao que ocorre no cortex visual, sem ninguém precisar contar ao computador.

Ao que parece, o objetivo desta máquina é aperfeiçar os serviços oferecidos pelo Google, tornando-os mais inteligentes e eficazes. Mas a criação de um computador que imita a mente humana dá asas à imaginação. Seria este o primeiro passo para construir um robô androide? Espero que venha com um filtro para não sair repetindo tudo que aparece na internet.

Referência: Terra

sábado, 9 de junho de 2012

Cientistas revelam como mosquitos sobrevivem à chuva

Você já parou para pensar em como os mosquitos conseguem sobreviver à chuva? Imagine o voo do inseto sendo ameaçado por gotas gigantes - cuja massa está para um mosquito assim como a de um carro está para o homem - vindo de todos os lados, acertando as asas e o corpo. É como um aviãozinho sendo impiedosamente alvejado por mísseis. Mas o verão, logo a estação das chuvas, é a preferida dos mosquitos e a época em que eles mais aparecem. Afinal de contas, como eles sobrevivem a este bombardeio de gotas d´água?

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos, partiram desta mesma curiosidade e desenvolveram experimentos para observar como os insetos sobrevivem. Ao manter pernilongos presos em uma área controlada e simular a chuva, os pesquisadores observaram que dois fatores cruciais garantem a sobrevivência dos pequenos voadores: o forte exoesqueleto, o qual consegue proteger o corpo do mosquito e deslocar parte do impacto; e mais importante ainda, os membros finos e o corpo leve possibilitam ao inseto deixar as gotas d'água simplesmente deslizar por eles, acompanhando o fluxo. Assim, os mosquitos não oferecem resistência à água da chuva e, consequentemente, sofrem pouco impacto.

Apesar disso, em voos rasantes as gotas podem projetar os insetos na superfíicie, o que traz sérios riscos de afogamento ou até mesmo esmagamento pela água.

Depois de saber deste trabalho todo, vou pensar duas vezes antes de acertar um pobre mosquito com a raquete. Ou não.

Referência: Ciência e Saúde

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Se gabar no Facebook é tão bom quanto sexo

Você se sente bem ao colocar as fotos dos lugares para os quais viaja, dos bares que frequenta, dos encontros com a turma 'descolada' e, com o Instagram, compartilhar guloseimas? Segundo um estudo científico realizado pela Universidade de Harvard, postar este tipo de conteúdo pode gerar uma sensação tão boa quanto sexo. E o motivo é bastante simples: as pessoas gostam de falar de si mesmas, mesmo que isso não seja tão legal para os outros usuários, despertando, às vezes, até sentimentos negativos. Além de tentar mostrar o quão legal é nosso dia-a-dia, escrever mensagens e opiniões sobre temas variados também pode trazer boas recompensas para o cérebro, afinal é uma forma de mostrar o lado "intelectual e crítico".

Os pesquisadores de Harvard fizeram um experimento no qual ofereceram uma pequena quantia em dinheiro para os participantes responderem a perguntas sobre famosos ou não receber nada para falar de si mesmos. A maioria não quis o dinheiro e preferiu contar sobre a própria vida.

O estudo não tem o objetivo de denegrir quem se gaba nas redes sociais, mas apenas mostrar como nossa mente funciona. Se não houvesse este tipo de coisa, de que viveriam Facebook, Twitter ou Orkut (r.i.p.)? Todo mundo se gaba pelo menos um pouco, inclusive eu, você e aquele seu amigo chato que sempre posta uma foto legal. O simples fato de ter um perfil significa que entramos no jogo.

Aproveite para mostrar no Facebook que você acompanha Blogs legais, curta o Ócio Científico!

Referência: DailyMail

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Descoberta de novo calendário maia 'adia' o fim do mundo


Pesquisadores norte-americanos anunciaram a descoberta de um novo calendário Maia, registrado por meio de pinturas nas paredes de um habitáculo, cômodo integrante das construções da antiga civilização, na Guatemala. Todo o estardalhaço criado para anunciar o fim do mundo em 2012 se baseia nos 13 ciclos do calendário Maia analisado até então. Mas a nova descoberta revela que há 17 ciclos, ou "baktun". Além disso, o arqueólogo David Stuart, da Universidade de Austin, Texas, afirma que os ciclos do calendário ainda vão se repetir por milhões de anos.

Segundo os cientistas, ainda falta explorar 99,9% do local, o que significa muitas outras descobertas sobre a fascinante sociedade Maia.

Para os que contavam com o fim do mundo para 21 de dezembro de 2012, pensem melhor antes de torrar toda a poupança ou falar algumas verdades para o chefe e a sogra.

Referência: Terra

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Por que algumas pessoas são melhores para desenhar?


Esta pergunta é bem antiga e a ciência busca a resposta com pesquisas em diversas áreas. É indiscutível o fato de algumas pessoas serem bem melhores ao ilustrar a realidade, seja objetos, gente ou paisagens, de forma muito mais precisa que outras. Recentemente, Rebecca Chamberlain, psicóloga da University College London, conduziu um estudo que conseguiu um avanço notável e enumerou os fatores mais determinantes para ser um bom desenhista, ou não.

Em linhas gerais, tudo depende de: como alguém percebe a realidade; quanto de informação visual consegue memorizar entre um momento e outro; e, finalmente, quais as características escolhe colocar no papel. Nossa percepção do mundo, em termos de proporção, formas e cores pode ser muitas vezes distorcida e isso contribui para um desenho ruim. Mas isso não significa que seu cérebro esteja funcionando mal, a mente tem muitos artifícios para que as funções mais básicas, como percepção de distância e velocidade de um objeto, além do contraste entre as cores, funcionem bem. A memorização de informação visual também é de extrema importância para uma boa ilustração, é a memória que, obviamente, determina a quantidade de detalhes disponíveis em sua mente. O terceiro fator é a escolha dos traços e aspectos. É crucial escolher as características mais marcantes de um objeto para desenhá-lo bem. Na maioria das vezes, os melhores desenhos são simples e isso ocorre porque o desenhista consegue eleger os traços e os detalhes principais.

A boa notícia é que, mesmo se você só consegue desenhar "bonequinhos de palito", pode treinar para se sair bem melhor. Segundo os cientistas, há poucas habilidades humanas que não podem ser adquiridas com treino. Não sei se compartilho o mesmo ponto de vista, já que acredito no talento natural para várias atividades, incluindo o desenho realista e a pintura como arte. Mas é confortante a ideia da possibilidade de aprender a fazer o que quiser.

Bons desenhos!

Referência: MSNBC

sexta-feira, 30 de março de 2012

Pensar estar bêbado aumenta a autoestima

A Universidade francesa Paris Descartes acaba de divulgar os resultados de um experimento feito para analisar os efeitos do consumo de álcool sobre a autoestima. Além disso, o estudo também permitiu verificar o que ocorre quando alguém pensa que ingeriu álcool.

O cientistas fizeram uma pesquisa junto a bebedores em um bar e constataram que quanto maior o consumo de álcool, mais as pessoas tendem a se achar atrativas. É importante citar, também, que quem está bebendo tem mais facilidade para se sentir atraído por alguém, segundo outros estudos nesta linha.

Um segundo experimento foi feito com mais de 80 pessoas, as quais acreditaram que estavam participando do lançamento de uma nova bebida e teriam que atuar em uma propaganda vendendo este produto. Foram distribuídos de forma aleatória copos com e sem álcool, sem avisar os participantes. Em seguida, o grupo foi dividido em dois: para metade disseram que não havia álcool e para os outros afirmaram que havia. Depois de feitas as atuações 'publicitárias', todos fizeram autoavaliações. Apesar de os grupos estarem bem misturados, as notas atribuídas pelos participantes foram bem melhores na metade das pessoas que foram avisadas sobre a presença de álcool, mesmo quem estava bebendo só um refresco sem saber. Logo, basta pensar estar bêbado para você se sentir mais confiante e bonito(a)!

Infelizmente, os cientistas disseram que as outras pessoas não tendem a achar bêbados mais atraentes.

Referência: Exame

quarta-feira, 21 de março de 2012

Super câmera enxerga além de cantos e esquinas

Cientistas do MIT acabam de apresentar uma tecnologia super inovadora: a câmera que é capaz de ver o que está atrás de objetos, cantos e esquinas. Este invento consegue driblar várias leis da óptica e também desafios do processamento de imagens, já que, nestes casos, não há raios de luz visível ou infra-vermelha que viajem em linha reta do objeto até as lentes.

Para entender o princípio de funcionamento, imagine um corredor com espelhos nas paredes. Se alguém estiver escondido atrás da próxima curva, será possível enxergar o seu reflexo. Entretanto, o mundo não é feito de espelhos ou superfícies lisas o bastante para distinguirmos imagens em reflexos. O que acontece normalmente é que a imagem se perde no momento em que a luz atinge uma superfície rugosa e os raios se espalham. A genialidade por trás desta nova câmera são pulsos de laser emitidos de forma ultra-rápida, os quais atingem a parede, refletem no objeto escondido, voltam para a parede e, finalmente, permitem que uma parte dos fótons chegue à câmera, revelando a imagem.

Veja o vídeo, é fascinante!



Referência: The Guardian

quarta-feira, 7 de março de 2012

Por que as músicas "grudam" na sua cabeça

É muito comum ter um refrão ou mesmo uma música inteira ecoando na nossa cabeça por vários dias. Mesmo que isso não seja tão agradável, afinal músicas ruins tendem a grudar facilmente. Às vezes, uma canção pode retornar às nossas mentes depois de muitos anos, pegando carona em uma outra lembrança.

Mas, afinal, por que isso acontece? Este fato foi pesquisado por poucos cientistas até hoje e sua explicação reside no emaranhado de sentidos, significados e conexões que é o cérebro humano. Uma psicóloga americana, a Dra. Vicky Williamson, vem estudando o fato há vários anos, o qual tem até um termo próprio em inglês: "earworm", algo como parasita de ouvido.

A música é uma experiência multi-sensorial, a qual pode ser associada a lugares, pessoas, gestos (principalmente para os músicos) e até sensações. Logo, elas podem ser guardadas na memória junto com outras lembranças e serem acessadas de muitas maneiras. Basta um pequeno estímulo, como ler a palavra que está no refrão de uma canção, e os instrumentos já começam a tocar novamente. Experiências ruins e traumáticas têm alto potencial para grudar músicas no seu ouvido, assim como os bons momentos: é por isso que todo mundo tem uma música para lembrar de quem gosta.

A doutora Williamson criou um site para registrar experiências de seus visitantes, inclusive o nome da música que estava grudada em sua cabeça. De uma maneira geral, as músicas são bem variadas, o que demonstra que isso é uma experiência pessoal. Entretanto, é comum que alguns 'hits' apareçam com maior frequência.

E você, tem alguma música grudada no ouvido? Se for "Ai se eu te pego" ou uma música que você não queira, basta seguir o conselho dos cientistas: tente achar outra para grudar no lugar.

Rerefência: BBC News Magazine

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Fique mais inteligente mascando chiclete

Uma pesquisa publicada recentemente pela St. Lawrence University, do estado americano de NY, revela os benefícios cognitivos de se marcar chiclete. Um experimento foi realizado com 159 pessoas e se tratava de uma longa bateria de testes de raciocínio. Para a metade dos voluntários foram distribuídos chicletes com e sem açúcar, enquanto a outra metade não mascou nada. Surpreendentemente, em 5 de 6 testes aplicados, o grupo dos mascadores teve desempenho médio superior aos outros. Entretanto, tal desempenho durou apenas 20 minutos: depois disso, os resultados foram equivalentes. Não houve distinção de performance entre quem mascava a goma com açúcar ou sem, o que revela que os resultados não estão ligados à glicose.

Ainda são nebulosos os motivos destes efeitos do chiclete, mas as inferências científicas apontam para a ideia de que o ato de mascar deixa as pessoas mais atentas e focadas nas tarefas. Outras pesquisas já foram feitas neste sentido, chegando a conclusões como o poder do chiclete de menta para manter alguém acordado.

Ao saber disso, aposto que muita gente vai preparar chicletes para os dias de prova, mas lembre-se de guardar para a parte mais difícil, afinal o efeito é temporário! Também é bom alertar a todos para não utilizarem tal estratégia em uma entrevista de emprego, a não ser que você leve o estudo na pasta e consiga convencer o pessoal do RH, aí a vaga já é sua.

Referência: Wired

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Como é um cientista?

Conheça alguns cientistas

Jaleco branco, óculos de aros grossos e, muitas vezes, cabelos brancos espetados e uma cara de louco. É assim que as crianças, e também alguns adultos, veem os cientistas. Este estereótipo, fruto do que vemos em filmes e desenhos animados, ajuda a manter o estigma sobre os homens e mulheres que se dedicam a empurrar os limites do conhecimento e da prática.

Mas além de querer salvar o mundo ou simplesmente entender como sobrevive tal espécie de sapo da amazônia, estas pessoas tem suas vidas comuns, paixões e sonhos. Talvez se passarmos a vê-los como gente como a gente, haverão mais vestibulandos se decidindo por seguir uma carreira voltada à construção do conhecimento. É claro que muitos outros fatores também influenciam nesta questão, como o fato de a Pesquisa e Desenvolvimento ainda engatinhar em diversas áreas no Brasil e outros países.

A revista Scientific American publicou uma matéria sobre o assunto. Basta clicar na foto de cada cientista para saber um pouco mais sobre sua vida e motivações.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Quem faz exercícios físicos ganha mais, diz estudo

Um estudo americano acaba de associar a prática regular de exercícios físicos a salários maiores. Durante a pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Cleveland, Ohio, descobriu-se que as pessoas que se exercitam três ou mais vezes por semana ganham 9% mais que os outros. Além disso, aqueles que tem menos atividades físicas semanais também têm salários maiores do que os sedentários, em cerca de 5%.

Foram entrevistadas 15 mil pessoas, o que confere uma certa credibilidade à pesquisa. O estudo foi publicado no Journal of Labor Research e o artigo atribui esta relação ao fato de a atividade física ser algo positivo para o corpo e a mente, o que permite às pessoas serem mais produtivas e até mesmo mais disciplinadas.

Pode-se inferir, ainda, que o impacto dos exercícios no salário - apesar de tal relação não ser citada -deve-se também à boa forma física, a qual inflencia diretamente na imagem pessoal, associando o indivíduo a boa saúde e autocuidado.

Moral da história: mais um ótimo motivo para finalmente começar uma atividade física.

Referência: G1

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Teia do Homem Aranha é criada a partir do bicho-da-seda

Desde os primórdios dos estudos sobre a genética a as manipulações transgênicas, especula-se sobre seres híbridos, animais e plantas mais fortes ou com características únicas, a exemplo das plantas que brilham no escuro, resultado da inserção de genes de vaga-lume. Além disso, sempre houve a hipótese de se criar objetos super resistentes e com características únicas, aproveitando o melhor que a natureza ofereceu a cada ser vivo.

O fio tecido pelas aranhas é alvo de cobiça científica e vários experimentos já foram realizados para se obter em escala industrial este fio mais resistente que o de aço. Tentativas com aracnídeos falharam, pois estes seres não produzem a quantidade suficiente e tendem ao canibalismo. Mas a grande novidade, anunciada recentemente pelos Estados Unidos, é que experimentos feitos com bichos-da-seda transgênicos - com alguns genes de aranha - levaram à criação de fios ultra-resistentes, em larga escala e com propriedades mecânicas ainda mais interessantes que o fio natural tecido pelas aranhas.

Este momento deve ser visto como um marco para os estudos transgênicos. Pode ser o nascimento de um material que revolucionará a indústria, incluindo têxtil, bélica e os próprios equipamentos industriais. É a chance que o Peter Parker precisava para arrumar um emprego melhor.

Referência: Terra
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...