segunda-feira, 19 de outubro de 2009

EUA criam Besouro-robô-espião

Insetos controlados por humanos é, aparentemente, um sonho antigo da ciência, por mais ficcção que isto possa soar(ou zoar). Um estudo conduzido na Universidade da Califórnia levou à criação de um besouro robô. Os cientistas utilizaram uma espécie de inseto grande, proveniente de Camarões, para implantar três componentes robóticos (na fase pupal no besouro, entre larva e adulto): uma microbateria, um microcontrolador e um transceptor. O resultado disso foi o bem-sucedido controle da decolagem, do voo e do pouso do besouro! Tudo utilizando um laptop. O objetivo final da pesquisa é criar insetos robôs para a espionagem.

Quem banca a pesquisa é a Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA), do governo americano. O besouro é parte do estudo que quer chegar a um inseto capaz de voar a uma distância de 90m, gravar conversas e voltar. Logicamente o maior empecilho nisto tudo é o peso de tais componentes eletrônicos nas costas do besouro. Até transmissor de GPS e câmera querem colocar.

Este é um prato (de sopa) cheio para quem quer discutir o futuro da robótica, a manipulação de seres vivos, a privacidade, Deus e muito mais. Tudo isso terminando com constatações como o fim do mundo e paralelos com filmes e livros do tipo "Exterminador", "Matrix" e "1984".

Para ler mais, visite aqui.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Metade dos nascidos hoje em países ricos chegarão até 100 anos

Parece até utopia pensar nesta informação, mas é o que diz o estudo, de uma universidade dinamarquesa, sobre o envelhecimento humano. A projeção de que metade das pessoas nascidas após o ano 2000 em países desenvolvidos chegará a 100 anos de idade tem como base o fato de que desde 1840 a expectativa de vida só aumenta. Além disso, alimentação, hábitos saudáveis e cuidados médicos evoluem cada vez mais, a exemplo das células tronco e dos tratamentos genéticos.

Apesar da evolução da medicina "curativa", o estudo mostra que a grande responsável por essa expectativa otimista é a prevenção. Hoje não apenas se vive mais, se vive melhor. Pelo menos nos países ricos. Logo, pensar desta forma para o Brasil talvez seja uma ideia errônea. Normalmente, as pessoas dizem que no campo vivia-se mais e melhor. Não é raro alguém contar que a avó viveu mais de 90 anos porque morava no interior, ao contrário do que acontece nos centros urbanos.

O estudo mostra ainda que 30 a 40% das pessoas com idade entre 92 e 100 anos são independentes ou precisam de pouca ajuda para realizar as tarefas simples do dia-a-dia e e auto-cuidado. Além disso, 40% das pessoas entre 110 e 119 anos (sim, você leu certo) também são assim, praticamente independentes.

Então, mais uma centena de motivos para você ter uma vida mais saudável. Isso vale para mim também.

Foto: stuff.co.nz
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...