terça-feira, 25 de agosto de 2009

A natureza e os Mestres do Disfarce

A natureza é impressionante. Há uma infinidade de plantas, animais, estratégias, histórias, composições, e coisas que a gente nem consegue classificar, que intrigam profundamente e vão além da criatividade humana.

Há algumas semanas, li uma reportagem sobre os "Mestres do Disfarce" na natureza. São seres vivos que utilizam o disfarce para enganar as outras espécies como forma de proteção ou ataque. A matéria cita vários exemplos, como a borboleta cuja parte superior das asas lembra sua cabeça e antenas. Uma tática para aumentar suas chances de sobrevivência no caso do ataque de um predador. O mesmo raciocínio se aplica para a cobra de "duas cabeças" e para uma indefesa mosca que tem as mesmas cores de uma vespa.

O exemplo do casulo de borboleta que é idêntico a uma folha é sensacional. Apenas olhos atentos conseguem perceber que se trata de um casulo.

Mas o caso mais intrigante de todos é o de um verme. Ele infecta o traseiro de uma certa espécie de formiga, fazendo-o ganhar a coloração vermelha. Nada acontece com a saúde do artrópode. Mas, enquanto continua sua vida normal, frequenta os ramos de uma planta frutífera. A questão é que o seu traseiro fica igual a estas frutas maduras e os pássaros comem as frutas! A tática do verme é fazer com que o pássaro confunda a traseira da formiga com uma frutinha. Uma vez no corpo do pássaro, o verme se reproduz e é excretado junto com as fezes, pronto para iniciar um novo ciclo. Falei que era impressionante!

*Eu me sentiria muito ocioso se estivesse no lugar dos cientistas que ficam observando insetos o dia inteiro.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Cientista quer criar capa de invisibilidade em 2 anos

A invisibildade sempre fez parte do imaginário humano. Capas, aparelhos, pílulas ou superpoderes. A literatura, os games e o cinema já exploraram o tema de diversas formas, seja na ficção científica, com naves gigantescas sumindo no céu, seja na comédia com rapazes ficando invisíveis para ver mulheres no vestiário.

Nos últimos tempos, vem-se ensanhando a criação de um dispositivo que dê invisibilidade a pessoas e objetos. Os japoneses já criaram uma roupa que dá alto "grau de invisibilidade" a alguém, mas quando percebemos que se trata de um aparelho que projeta na frente o que está atrás da pessoa, vem o pensamento: "Hey, isso não é invisibilidade!".

Mas agora parece que a coisa é séria. Um cientista escocês trabalha num projeto de capa de invisibilidade que explora as leis da refração, as quais permitem a transparência de certos materiais, a exemplo do vidro. Experiências anteriores que seguem a mesma linha de raciocínio alcançaram certo êxito, permitiram que objetos ficassem invisíveis a radares ao fazer as ondas simplesmente contornarem o obstáculo e se encontrarem do outro lado mantendo exatas direção e velocidade que anteriormente. É como se as ondas tivessem passado pelo vazio, pasmem!

O cientista Ulf Leonhardt trabalha no projeto há dois anos e se inspirou na Mulher Invisível e até na capa do Harry Potter, o que não tira sua credibilidade (sem ironia!). Ao que parece, seu invento terá forma circular. Agora, é esperar para ver, ou melhor, não ver.

Saiba mais.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Olhar fotos de guloseimas ajuda a emagrecer

A constatação veio de um experimento realizado na Holanda, com grupos de mulheres que estavam engajadas no emagrecimento. Em poucas palavras, funcionou assim: parte delas viu a foto de uma torta de chocolate e a outra a de uma flor. Depois, na hora do lanche, deveriam escolher entre um biscoito de chocolate ou um mais light, de aveia. Ao que parece, a visão tentadora do doce fez as mulheres se sentirem mais decididas e mais preparadas para resistir aos prazeres calóricos. Uma psicóloga chegou a sugerir que as pessoas que querem emagrecer deixem fotos de doces e afins na porta da geladeira.

Mas é bom deixar claro que o resultado por enquanto só vale para mulheres que querem emagrecer. Então, não se sabe (cientificamente) qual o efeito de fotos de guloseimas neste caso para outras pessoas. Eu, por exemplo, sou presa fácil para anúncios que mostram doces, bolos, pizza, cerveja, refrigerante gelado, churrasco e muitas outras coisas. E duvido muito que a maior parte das mulheres resiste quando vê uma foto tipo a deste post.

Vale citar o caso de uma professora: no livro dela tem a foto de um pudim muito apetitoso. Para evitar o sofrimento diário causado pela foto ao folhear o livro, ela resolveu colar um papel por cima.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Expressões faciais variam entre orientais e ocidentais ¬¬

Você já notou como os "emoticons" dos japoneses são diferentes dos nossos? E em como os animes e mangás concentram as expressões dos personagens nos olhos? Isso tudo é um reflexo das diferenças na hora de interpretar as expressões. Uma universidade escocesa realizou um estudo com ocidentais e orientais para identificar como pessoas de diferentes etnias fazem leitura das expressões. Basicamente, os orientais dão muita atenção aos olhos para tentar decifrar o que siginifica uma expressão T_T, já os ocidentais fazem uma leitura do rosto completo ;-/. É curioso o fato de que os japoneses, por exemplo, têm os olhos bem "fechados" e mesmo assim transmitem mais emoções com o olhar. O estudo revelou ainda que os povos orientais têm mais dificuldade para identificar a diferença entre raiva e nojo e entre medo e surpresa. Tudo isso pode ter influência no processo de globalização e consequências na relação entre pessoas de origem ocidental e oriental.

Fica aí a dica de algo a ser pensado na hora de elaborar campanhas para o público do outro lado do mundo. ^^

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Japoneses dão emprego de chef a robô



Esta notícia não é nenhuma descoberta científica, já que os japoneses têm muitos robôs bem mais avançados do que este do vídeo. Entretanto, o que mais chama atenção aqui é que este robô está realmente trabalhando em um restaurante, fazendo macarrão para clientes de verdade! Aquilo que a gente vê em feiras de ciência ou filmes de ficcção já está ali para quem quiser ver e experimentar.

A ideia de desenvolver o robô que faz noodles partiu de um fabricante da cidade de Nogoya, que abriu o restaurante. Isso tudo é no mínimo curioso. Hoje um robô trabalha no lugar de um chef. Já vi na internet robô babá, recepcionista, policial, carregador, empilhador e muitas, muitas outras funções. Como o Luiz, que sempre acompanha o blog, disse: "Daqui a pouco vão ter que inventar robôs para fazer compras e gastar dinheiro também." Tenho que concordar.

Vale a pena assistir.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...